Educar para Crescer
busca

Educar para crescer

ESPORTE E EDUCAÇÃO

Magic Paula: "Esporte não é só Olimpíada. Esporte é Educação"

A ex-campeã mundial de basquete acredita que faltam políticas públicas que mostrem o quanto o esporte é fundamental na vida de crianças e jovens


15/06/2012 17:38
Texto Manoela Meyer
Educar
Foto: Cintia Sanchez
"As aulas de Educação Física devem ser atraentes, sem compromisso de atender apenas quem sabe jogar", diz Paula

Maria Paula Gonçalves da Silva entrou para a história do basquete nacional como Magic Paula. Campeã mundial em 1994 e vice-campeã olímpica em 1996, começou muito cedo na carreira. Aos 12 anos se mudou da casa de seus pais, na pacata Osvaldo Cruz (SP), para integrar o time da cidade de Assis (SP). Apesar da distância, sua família jamais deixou de exigir bom rendimento escolar. “Hoje agradeço esta cobrança dos meus pais em relação aos estudos”, conta a ex-atleta. 

Antes de integrar a seleção brasileira, Paula brilhou nas quadras defendendo o time da Unimep (Piracicaba – SP) onde também concluiu a graduação em Educação Física. A equipe foi pioneira no Brasil ao atrelar o esporte à Universidade, nos moldes do ensino superior norte-americano. 

Em 2004, fundou com a também ex-atleta Branca, o Instituto Passe de Mágica, um projeto que tem foco na educação pelo esporte. Para ela, as crianças tem trocado cada vez mais as atividades ao ar livre por horas na frente do computador ou da televisão. Reforçando sua ideia de que as brincadeiras de rua e o esporte são essenciais para a vida dos pequenos, Paula lançou em 2011 um livro sobre sua infância (Magic Paula, editora Callis). 

Conversamos com Paula sobre sua infância, os sacrifícios e as lições que tirou de sua carreira no basquete, e o que pensa do esporte na Educação brasileira. Confira!

Para ler, clique nos itens abaixo:
Como foi o período em que você se mudou da casa de seus pais, ainda pequena?
Magic Paula: Muito difícil, não queria ficar, chorava todas as noites. Esta dor foi amenizada com a escola, os treinos, as viagens para as competições...
De que forma isso se refletiu em sua vida escolar e familiar?
Magic Paula: Meus pais sempre colocaram limites. Quer jogar basquete? Tem de estudar. Foi assim que levei minha vida de atleta/estudante. Quando o esporte surge na vida de uma criança, é natural que tudo fique em segundo plano. Mas hoje agradeço esta cobrança dos meus pais em relação aos estudos.
Por que você decidiu falar sobre sua infância em um livro?
Magic Paula: Fui convidada e gostei do projeto. A intenção era mostrar que todos os ídolos tiveram infância e comigo não foi diferente.
Fazer carreira dentro do esporte realmente exige muitos sacrifícios?
Magic Paula: Qualquer profissão exige dedicação. No meu caso, foi necessário abrir mão de muitas coisas, principalmente da minha vida pessoal. Para mim, não existe recompensa sem dedicação, trabalho, esforço e entrega.
É comum universidades investirem em esportes?
Magic Paula: Eu tive a honra de participar do primeiro projeto de uma equipe de esporte atrelado à Universidade. Foi em Piracicaba em 1980, quando a Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) montou sua primeira equipe de basquete nos moldes das universidades americanas. Utilizar a estrutura de uma Universidade para o esporte ainda é pouco difundido no Brasil.
O que mudou com o passar dos anos?
Magic Paula: Os atletas deixaram de estudar e, infelizmente, a escola e a Universidade não têm dado o valor que o esporte merece. Falar de esporte no Brasil remete a competição, Olimpíada, Mundial e, na minha opinião, o esporte transcende este cenário. O esporte é educação!
O governo brasileiro enxerga o esporte como um benefício real para crianças e adolescentes?
Magic Paula: Temos um potencial enorme a ser descoberto. A atividade física na escola ainda é marginalizada, mas eu acredito muito no poder que o esporte tem para educar. Um esporte que seja para todos, sem a tal da meritocracia que o esporte de rendimento existe. Os talentos podem surgir da massificação, mas de forma lúdica e não excludente como ocorre hoje.
Por que você achou importante se formar em Educação Física?
Magic Paula: Foi uma escolha pela facilidade de tocar junto o esporte e a escola naquele momento. Mas eu entendo que a vida é um eterno aprendizado e devemos estar sempre buscando o conhecimento.
Por que você acredita que o esporte é crucial na vida de crianças e adolescentes?
Magic Paula: O trabalho desenvolvido pelo Instituto Passe de Mágica vive no dia-a-dia esta experiência incrível de tornar o esporte educativo, de forma lúdica, fazendo a criança aprender as qualidades básicas de ser cidadão através da pratica esportiva.
Como garantir o interesse dos jovens pela atividade física?
Magic Paula: Faltam políticas públicas que deveriam começar na escola, com aulas de educação física atraentes, sem compromisso de buscar quem sabe jogar, mas mostrar que atividade física é fundamental na vida de todos nós. A oportunidade gera o talento.

 

amigos do educar

 


lição de casa

Crianças que fazem a lição de casa diariamente aprendem mais, têm notas melhores e se tornam mais seguras. Faça a sua parte!



depoimentos

Marina Silva, Martha Medeiros, Nelson Motta e outras personalidades brasileiras revelam o impacto de uma boa Educação no futuro



recomendamos

EDUCAÇÃO INFANTIL
Como contribuir com essa importante fase de formação da criança

ENSINO FUNDAMENTAL 1
Como acompanhar os primeiros passos da vida escolar de seu filho

ENSINO MÉDIO
Dicas para pais e alunos enfrentarem esta fase de novos desafios

mais lidos

ALFABETIZAÇÃO
11 dicas para ajudar na alfabetização de seu filho

TECNOLOGIA
52 sites que ensinam e divertem a criançada