Educar para Crescer
busca

Educar para crescer

CONTRATURNO

Como escolher um curso extracurricular para meu filho?

Atividades depois das aulas normais são importantes para aprimorar o desenvolvimento da criança. Conheça os cursos indicados por especialistas


20/01/2014 12:16
Texto Anna Paula Buchalla e Iana Chan
Educar
Foto: Claudia Marianno
Foto: Cursos extras de idiomas, matemática e redação podem ajudar no desempenho escolar
Cursos extras de idiomas, matemática e redação podem ajudar no desempenho escolar

O início do ano escolar é o momento certo para definir como será a rotina do aluno. Além de determinar o horário da lição de casa, do estudo, do computador e do descanso, os pais se deparam com o desafio de preencher o tempo ocioso da criança ou do adolescente.

1808 Especial Cursos Extracurriculares
Confira outras reportagens sobre os benefícios dessas atividades no desenvolvimento do seu filho!

 
Que tal escolher com seu filho algumas atividades extracurriculares para esse ano? É uma ótima opção para evitar que ele passe o dia todo sozinho em frente à televisão ou ao computador, e os cursos ainda contribuem para o desenvolvimento de diferentes capacidades. Autoestima e timidez podem ser trabalhadas em um curso de teatro, enquanto raciocínio lógico e coordenação motora são desenvolvidos nas aulas de robótica, por exemplo. Diversas pesquisas indicam também que a responsabilidade e autonomia estimuladas nos cursos extracurriculares colaboram para um melhor rendimento escolar.

Um estudo feito pela Sociedade para Pesquisa do Desenvolvimento da Criança, nos Estados Unidos, mostrou que enquanto 40% dos meninos e meninas entre 5 e 18 anos não tinham nenhuma atividade fora da escola, entre 3% e 6%, gastavam vinte horas por semana em cursos e aulas antes ou depois do horário escolar. Não por acaso, eram justamente esses últimos os que demonstravam melhor preparo educacional e psicológico. "Estimular o raciocínio significa aprimorar o desenvolvimento das crianças, o que resulta em adolescentes seguros e adultos bem-sucedidos", diz a psicopedagoga Adriana Fóz, da Universidade Federal de São Paulo.

Faça o teste! Qual atividade extracurricular mais combina com o seu filho?
Saiba escolher uma atividade em que seu filho se divirta e aprenda.
Confira outras reportagens sobre os benefícios dessas atividades no desenvolvimento do seu filho!

Se está convencido a matricular seu filho em algum curso, não deixe de ver as dicas dos especialistas:

1. Como escolher um curso extracurricular ou extraescolar para meu filho?
Os pais devem levar em conta a necessidade da criança, como no caso do reforço escolar, mas o desejo dela deve ser determinante. "Os pais não devem projetar em seus filhos sonhos não realizados", atenta a presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, Quézia Bombonatto.

Ofereça as opções para a criança e explique o que é cada uma. Se a criança mostrar vontade de fazer determinado curso, os pais devem conversar sobre essa escolha (do que ela gosta? Por quê? O que pretende com esse curso?) e fazer alguns combinados, por exemplo, de que ela irá permanecer na atividade por algum período de tempo (não muito longo). Isso a fará entender sobre sua responsabilidade em relação ao curso e irá evitar que ela desista facilmente.
2. Que cuidados são necessários na hora da escolha?
Muitos pais se preocupam, legitimamente, com o mercado de trabalho competitivo e, desde cedo, querem preparar seus filhos oferecendo atividades que estimulam suas habilidades. Ou então, há aqueles pais que oferecem a seus filhos a oportunidade que gostariam de ter tido na infância, como o sonho de ser bailarina ou o gosto por música clássica.

A presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, Quézia Bombonatto, alerta que os pais precisam avaliar o que é compatível com a habilidade e desejo da criança. "Se a criança não quer, essa decisão precisa ser revista", afirma.

Muitas vezes, a atividade é prioridade dos pais e não da criança e essa expectativa atrapalha a evolução no curso. É preciso respeitar o ritmo da criança.
3. Como acompanhar as atividades extracurriculares?
Como qualquer outra atividade de seu filho. Os pais devem seguir a evolução do curso e conversar sempre com o professor. É importante verificar como é a participação da criança e se a atividade não está pesada demais e a estressando.
4. Meu filho começa várias atividades, mas não termina nenhuma. O que fazer?
É preciso mostrar às crianças desde cedo que fazer essas escolhas tem a ver com responsabilidade. Se seu sempre pede para fazer algum curso e depois de 2 meses muda de ideia, há algo de errado. "Se a criança pede, faça um trato com ela. É preciso fixar o compromisso de não abandonar o curso", orienta a presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, Quézia Bombonatto. Estabelecer limites e responsabilidades ajudam a criança a entender que suas escolhas têm consequências. Achar que nada está bom é muito ruim para a personalidade da criança. "Ela vai achar que a vida é assim, criando uma ansiedade muito grande de quem fez tudo e não faz nada", explica Quézia.
5. Qual é a quantidade ideal de cursos?
A agenda da criança precisa ter um espaço livre para o lazer. Os pais não podem esquecer que crianças precisam de tempo para brincar, e adolescentes, de pausa para descansar. (veja na matéria Como planejar a rotina de seu filho.

Além disso, oferecer muitos cursos pode frustrar a criança, já que ela não conseguirá se dedicar à nenhuma atividade. O tempo livre também é importante para sua saúde mental: muitas vezes os pais entendem o curso extraescolar, natação, por exemplo, como um lazer, porém a criança tem uma rotina e precisa se aplicar à aula. "A criança deve poder escolher o que fazer nas horas livres, sem ter o compromisso da rotina", avalia a presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, Quézia Bombonatto.

O tempo de convívio com os pais também é necessário. "Nenhuma atividade vai substituir a presença do pais na vida dessa criança, o conversar e o compartilhar", defende. Ela demonstra que muitos pais não têm tempo de acompanhar seu filho e, por isso, o enchem de atividades como forma de amenizar a culpa por não poder dar atenção a essa criança. "O tempo de convivência é mais rico", finaliza a psicopedagoga.
Diante das inúmeras opções de cursos, alguns especialistas sugerem cursos extracurriculares. Confira:

Para ler, clique nos itens abaixo:
1. Idiomas
Modalidades: o inglês é essencial. Mas, se a escola de seu filho de fato oferece um bom curso do idioma, o ideal é investir na terceira língua. As mais cotadas são espanhol, alemão, japonês e mandarim.

Carga horária recomendada: fuja das escolas que prometem ensinar uma língua em apenas alguns dias ou poucos meses. A duração de um curso varia de três a cinco anos, com duas aulas semanais, para um aprendizado intermediário

Escolas indicadas pelos especialistas: o ideal é que as turmas tenham no máximo dez alunos. Atente também ao método: os mais recomendados são os que se utilizam de audição, repetição, memorização e exercícios orais de palavras e frases feitas ou aqueles que usam a interação social - criam-se situações reais para falar o idioma, como conversas entre os alunos. Ganham pontos as instituições que são certificadas para realizar as avaliações de proficiência como o Toefl, o principal exame de fluência em inglês.
2. Matemática
Modalidades: educação financeira ou aprofundamento em matemática

Carga horária recomendada: duas aulas semanais, com uma hora e meia de duração, por três meses (matemática financeira); e uma hora, duas vezes por semana, por tempo indeterminado (matemática pura)

Escolas indicadas pelos especialistas: os métodos Kumon (um sistema de autoaprendizagem, em que as crianças repetem exaustivamente exercícios até que dominem seu conteúdo), Multi Educação (aulas de reforço ao ensino de matemática com nove módulos para o ensino fundamental e três para o ensino médio) e The Money Camp. Todas as franquias possuem unidades nas principais capitais do país
3. Redação e literatura
Modalidades: leituras de vestibular, gramática, produção de texto e desenvolvimento de criatividade na escrita

Carga horária recomendada: uma a duas horas semanais

Escolas indicadas pelos especialistas: Viagem de Letras (São Paulo), Casa das Rosas (São Paulo), Multi Educação (principais capitais), Casa de Leitura (Rio de Janeiro: os cursos voltados aos adolescentes reabrem a partir de março)
4. Empreendedorismo e robótica
Modalidades: o objetivo é levar os alunos do ensino fundamental e médio a se iniciar nos rudimentos da tecnologia. Ao investigarem e solucionarem problemas, eles aprendem noções de física, como o funcionamento de engrenagens e motores, e são ainda estimulados a tomar atitudes e decisões. Algumas escolas de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre já adotam o curso em sua grade extracurricular

Carga horária recomendada: uma aula de cinquenta minutos, uma vez por semana, para adolescentes e crianças a partir de 5 anos

Escolas indicadas pelos especialistas: para crianças de 5 a 11 anos, os melhores métodos são os aplicados pelos sistemas da divisão educacional da Lego, como o Lego Zoom. Há cursos com esse método oferecidos pelo chamado Programa Líder, no Distrito Federal e nos seguintes estados: Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.
5. Desenvolvimento cognitivo
Modalidades: a ideia aqui é que o aluno aprenda a aprender. Nos primeiros oito anos de vida, são formadas 80% das conexões neurais. É um momento riquíssimo para estimular a capacidade de desenvolvimento da criança. Um método internacional, recentemente inaugurado no Brasil, propõe ampliar o potencial e o prazer de aprender dos pequenos. Entre as matérias que compõem o curso estão biologia, criatividade, tecnologia, planeta Terra, astronomia, matemática, literatura, ciências naturais, oratória, teatro e artes, comunicação e economia

Carga horária recomendada: as atividades duram duas horas, em uma única aula por semana, e se estendem por dois anos

Escola indicada pelos especialistas: FasTracKids (Brasília, Recife, São Paulo e São Luís)

 

amigos do educar

 


lição de casa

Crianças que fazem a lição de casa diariamente aprendem mais, têm notas melhores e se tornam mais seguras. Faça a sua parte!



depoimentos

Marina Silva, Martha Medeiros, Nelson Motta e outras personalidades brasileiras revelam o impacto de uma boa Educação no futuro



recomendamos

EDUCAÇÃO INFANTIL
Como contribuir com essa importante fase de formação da criança

ENSINO FUNDAMENTAL 1
Como acompanhar os primeiros passos da vida escolar de seu filho

ENSINO MÉDIO
Dicas para pais e alunos enfrentarem esta fase de novos desafios

mais lidos

ALFABETIZAÇÃO
11 dicas para ajudar na alfabetização de seu filho

TECNOLOGIA
52 sites que ensinam e divertem a criançada