Educar para Crescer
busca

Educar para crescer

Boletim da Educação

Professores recebem prêmio por projetos de aula inovadores

por: Stephanie Kim Abe

Paula Sestari, professora de Educação Infantil de Joinville, foi escolhida a Educadora do Ano entre os dez vencedores do Prêmio Educador Nota 10

Os dez vencedores do Prêmio Educador Nota 10, durante a cerimônia de premiação ocorrida na Sala São Paulo (Foto: Marcos Rosa)

Os dez vencedores do Prêmio Educador Nota 10, durante a cerimônia de premiação ocorrida na Sala São Paulo (Foto: Marcos Rosa)

Usar folhas e galhos para fazer esculturas, trazer a arte do circo popular para dentro da escola, preparar receita de bolo para aprender medidas e cálculos, explorar os sambaquis para valorizar o patrimônio histórico, levar os alunos para olhar para fora dos muros da escola. Essas são algumas das ideias simples por traz dos trabalhos inovadores de dez professores de todo o país, vencedores do Prêmio Educador Nota 10.

Com o projeto de levar a turma da Educação Infantil a descobrir o manguezal no entorno da sua escola, a professora Paula Aparecida Sestari foi escolhida a Educadora do Ano. Em seu agradecimento, ela cham0u atenção para a importância de valorizar a sua categoria: “O profissional da Educação Infantil é um professor!”.

“O profissional da Educação Infantil ainda é visto muito como um cuidador, uma babá, alguém que está ali para lidar com os cuidados básicos. O nosso papel é muito mais que isso. É realmente de educar, de transformar. Então temos que ser vistos como um profissional”, explicou.

Fora dos muros da escola

Com o projeto intitulado “Baía da Babitonga: nosso berçário natural”, Paula levou a turma de Educação Infantil do Centro de Educação Infantil Odorico Fortunato, de Joinville (SC), a conhecer o manguezal vizinho da escola, por meio de conversas, leituras, observações, vídeos, construção de maquete e vivências. Com a ajuda da direção e da comunidade, foi possível, por exemplo, um passeio de escuna pela Baía da Babitonga, para conhecer ainda melhor a paisagem e entender a importância desse ecossistema para a região.

Após essas experiências e a pedido da classe, foi construída uma casinha de madeira no pátio da escola, espécie de observatório das crianças sobre o manguezal, já que os muros impediam essa visão. “Às vezes, trabalhamos só com o que está dentro da instituição. E as crianças precisam já começar a olhar para fora”, diz Paula Aparecida Sestari, no vídeo sobre o seu projeto.

Outro ponto importante a ser destacado em seu trabalho é a participação da família. “A família faz com que a criança se aproprie do conhecimento e tenha usabilidade, colocando em prática no dia a dia. Então, procurei inserir as famílias, saber o que conheciam sobre o assunto e oportunizar para que as crianças e também seus pais tivessem esse avanço e essa transformação de pensamento”, explicou a professora.

Premiação

Criado há 17 anos pela Fundação Victor Civita, o Prêmio Educador Nota 10 desta edição trouxe a parceria inédita da Globo e da Fundação Roberto Marinho. “Essa parceria é um enunciado muito importante para mostrar que em Educação não há concorrência, há carências”, disse Hugo Barreto, secretário-geral da Fundação Roberto Marinho.

Foram mais de 3,5 mil inscritos, entre professores, coordenadores pedagógicos, orientadores educacionais e diretores escolares de todo o país. Os premiados ganharam um vale-presente de R$ 15 mil e um tablet e a Educadora do Ano e sua escola receberão um vale-presente de R$ 5 mil cada um.

A jornalista Sandra Annenberg conduziu a apresentação da festa, ocorrida ontem (21/10) na Sala São Paulo, em São Paulo. A cerimônia teve ainda apresentação da Cisne Negro Cia de Dança e da cantora de MPB Teresa Cristina.

Os dez Educadores Nota 10

Conheça mais sobre o projeto dos nove premiados, listados em ordem alfabética:

Ana Cláudia Santos – Escola Estadual Padre Paulo (Santo Antônio do Monte, MG)
Trabalho “O povo conta” de Língua Portuguesa, com alunos do 6º ano

Andréa de Fátima Dias Tambelli – Escola da Vila (São Paulo, SP)
Trabalho “O trabalho com medidas” de Matemática, com alunos do 2º ano

Angela Maria Vieira – Escola Municipal Profª Maria Regina Leal (Joinville, SC)
Trabalho “Os Guardiões dos Sambaquis”, de História, com os alunos do 6º ano

Emanuel Alves Leite – Escola Estadual Profª Maria Lourdes Bezerra (Macau, RN)
Trabalho “Lugar de circo é na escola”, de Arte, com alunos do 9º ano.

Mara Elizabeth Mansani – EE Professora Laila Galep Sacker (Sorocaba, SP)
Trabalho “Escrevendo com lenga-lenga”, de alfabetização, com alunos do 1º ano

Maria da Paz Melo - EM Valéria Junqueira Paduan (Santa Rita do Sapucaí, MG)
Trabalho “O desenho como expressão”, de Arte, com alunos do 5º ano

Marlene Garcia Alves – Colégio Estadual do Ensino Médio e Fundamental Vale do Saber (Apucarana, PR)
Trabalho “Construções no plano cartesiano”, de Matemática, com alunos do 8º ano

Monique Godoi Gomes Lescura – EM CAIC (Lorena, SP)
Trabalho “Desastre natural: informar para prevenir”, de Geografia, com alunos do 8º ano

Paula Aparecida Sestari - Centro de Educação Infantil Odorico Fortunato (Joinville, SC)
Trabalho “Baía da Babitonga: nosso berçário natural”, de Educação Infantil, com alunos da pré-escola

Renata Maria Pontes Cabral de Medeiros - EMEF Fabiano Alves de Freitas (Ituverava, SP)
Trabalho “As mil e uma noites”, de Língua Portuguesa, com alunos do 4º ano

 

 

Acompanhe a fila por vagas em creches pela internet

por: Bruna Nicolilelo


Pais que aguardam por vagas em creches e pré-escolas para os filhos, na cidade de São Paulo, podem agora acompanhar a posição de seus pedidos pela internet. As regras para o cadastramento por vagas foram alteradas e, a partir de agora, o critério de seleção é a ordem de chegada (antes as crianças mais velhas tinham preferência).

Ao fazer o cadastro, você receberá um número de protocolo. Para conferir seu lugar na fila de espera é só acessar o site da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (www.portalsme.prefeitura.sp.gov.br), clicar em “Educação Infantil” (na coluna esquerda da página) e selecionar a opção “Cadastro de Demanda”. Além da consulta individual é possível ver a lista por escolas e imprimir a ficha de cadastramento.

Os pais que se cadastraram antes do dia 1º de agosto deverão solicitar o protocolo na escola onde fizeram o pedido. A secretaria garante que a posição na fila de quem fez o cadastro antigo não será alterada ao fazer o novo.

Leia também: O direito à Educação infantil, Creches para todos! Conheça a importância da Educação na primeira infância e saiba o que fazer para garantir seu direito.

O que não pode faltar na creche, brincadeiras, movimento e arte são fundamentais para o desenvolvimento das crianças

É tudo novidade, sobre o processo de adaptação dos pequenos no primeiro ambiente escolar

24 de setembro de 2009

Tags: , ,

528 comentários
 

Senado aprova medida que pode financiar construção de creches e pré-escolas

por: Bruna Nicolilelo

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado aprovou nesta quarta-feira, dia 8 de julho, um plano para arrecadar mais fundos para a construção de creches e pré-escolas.

O projeto, de autoria da senadora Patrcia Saboya (PDT-CE), poderá utilizar recursos do Fundo de Garantia de Tempo de Servio (FGTS) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento e de Valorização dos Profissionais de Educação Básica (Fundeb). A medida tambm prevê a criação de mais um programa para custear obras de creches e pré-escolas, o Programa Nacional de Educação Infantil para a Expansão da Rede Física (Pronei).

A proposta ainda precisa passar pela Comisso de Educação, Cultura e Esporte, onde será votada em decisão terminativa, que vale como uma decisão final do Senado. Se aprovada, a medida pode ajudar a reduzir o déficit de creches e pré-escolas públicas do Brasil – de acordo com o IBGE, pelo menos 30% das crianas de 0 a 6 anos não conseguem vagas em creches públicas.

Leia Também:
- O direito à  Educação Infantil

 

Ministro da Educação destaca importância da educação na primeira infância

por: Bruna Nicolilelo

Crianas fazendo bolha de sabo
Stock

O ministro da Educação, Fernando Haddad, revelou dados do MEC que comprovam a necessidade de melhorar a Educação das crianças de 0 a 6 anos. De acordo com Haddad, os pequenos que freqentam pré-escolas têm at 32 % de chance a mais do que as outras de concluir o Ensino Médio.

“A gente percebe que o problema só aparece aos 15 anos, mas ele já está marcado aos 3 ou aos 6. Se quisermos mudar isso, vamos ter que fazer esse caminho de volta e pensar na pré-escola, na educação de 0 a 3, e, sobretudo, na alfabetização”, disse o ministro, durante a Conferência Global sobre Desenvolvimento da Primeira Infência, evento promovido pelo governo da cidade do Rio de Janeiro em parceria com o Banco Mundial. A informação é do portal de notcias G1.

A importância da Educação na primeira infância foi tema da reportagem O direito à Educação infantil, feita pelo Educar Para Crescer no mês de maio. Ela traz um guia de como assegurar o direito a creches e pré-escolas às crianças de 0 a 6 anos.

Leia também: O bom de educar desde cedo

 

roda blog