Educar para Crescer
busca

Educar para crescer

LIMITES

Como dizer não para seus filhos?

Para muitos pais, parece tão difícil dizer ene, a, o, til.... Mas saiba que é extremamente importante para seu filho ouvir simplesmente não


26/09/2014 15:26
Texto Carolina Tarrio
Educar
Foto: Bruno Lanza
Foto: É importante dizer não
Explique o motivo do não, para que seu filho entenda as regras valorizadas em casa

"Sabe qual é a maneira mais certa de deixar seu filho infeliz? Acostumá-lo a receber tudo." Essa frase foi escrita pelo filósofo Jean-Jacques Rousseau, no livro "Emílio ou Da Educação", em 1762. E não é que continua valendo hoje? Segundo Rousseau, se você der tudo a uma criança, seus desejos só farão crescer devido à facilidade em satisfazê-los e ela terá de lidar então com sua própria ansiedade, com sua tirania e com a decepção de o pai, em algum momento, parar de atendê-lo, já que satisfazer tudo é impossível. "São sentimentos muito mais difíceis de administrar para uma criança, e que causam mais dor do que simplesmente ter um desejo negado", diz Rousseau.

Ajudar os filhos a lidar com as frustrações e orientá-los sobre o que é razoável ou não os torna mais seguros e flexíveis. As crianças precisam aprender que suas atitudes têm consequências e que elas não podem fazer tudo o que quiserem. "Frustrar determinadas expectativas, dizer não, é ensinar. Essa é uma função paterna e materna, faz parte de educar", diz Magdalena Ramos, terapeuta de casal e família e autora do livro "E Agora o que Fazer? A Difícil Arte de Educar os Filhos", da editora Ágora.

Habilidades não-cognitivas Especial Habilidades não-cognitivas
Veja porque estimular competências como sociabilidade, curiosidade e dedicação no seu filho.
Ultimamente, porém, pronunciar essa palavrinha tão curta parece extremamente difícil. Muitos pais e mães trabalham muito e se sentem culpados e em falta em relação aos filhos... Ou porque lhes dão menos atenção do que gostariam ou porque os vêem por pouco tempo. "Isso provoca um desejo de compensar os filhos fazendo suas vontades e não colocando limites que causariam frustração a todos", diz a psicóloga Rosana Augone. Claro, uma mãe que chega em casa cansada e tem apenas uma hora para dar banho e jantar antes de colocar seu filho na cama, a última coisa que quer é provocar uma briga ou suportar uma birra. Mas evitar um não necessário é daqueles ‘baratos que saem caro’.
Faça o teste! Você sabe dar limites ao seu filho?
Veja se os limites que você dá a ele são bem definidos.

O não é sempre uma frustração de uma expectativa ou desejo - e não há como aliviar isso. O que acontece é que são essas frustrações que formam o caráter da criança, ensinando-a a buscar de forma criativa outras maneiras de se sentir satisfeito e percebendo que é possível suportar uma espera ou mesmo a não realização de seu desejo. "Isso torna a criança mais forte para as intempéries que certamente a própria a vida lhe trará", diz Rosana. Dizer não faz parte, e é bom para o seu filho. Então, que tal aprender a fazer isso, sem culpas? Eis algumas orientações para guiar você nesse importante caminho.

Para ler, clique nos itens abaixo:
1. Aprenda isso em casa
Na vida, sempre será preciso enfrentar frustrações e respeitar limites. As crianças precisam estar preparadas para isso. É melhor que elas aprendam em casa, com seus pais, em um ambiente no qual sabem que são amadas e se sentem protegidas do que fora, ou muito mais tarde, quando a queda pode ser maior.
2. Saiba quando dizer não
Escolha os "nãos" que você vai dizer. Pense quais são os pontos realmente importantes, de que você e sua família não abrem mão: a hora do sono? A comida? Situações que colocam em risco a segurança da criança, os bons modos, o respeito aos mais velhos? Não dá para dizer "não" o tempo todo e as crianças experimentam e fazem pequenas besteiras. Você pode deixar passar as bobagens ou tratá-las de modo menor. Mas algumas coisas, as realmente importantes, têm de estar bem marcadas e claras.
3. Seja firme e coerente
"A melhor forma de dizer um não para o seu filho é apenas dizê-lo quando você estiver seguro de que é um não mesmo, que não vai virar um sim depois", diz a psicóloga Rosana Augone. Ou seja, é preciso ter coerência ao dizer não, para que a criança possa ir aprendendo. Não dá para proibir uma coisa um dia e, no outro, por estar cansado ou para não armar uma briga, ceder.
4. Os pais têm que entrar em acordo
É importante que os pais combinem esses "nãos" juntos, ou que se falem antes de dar uma resposta, para que a criança não fique perguntando para um e depois para o outro e manipulando a situação.
5. Controle as opções
Seu filho pequeno não precisa ter tantas escolhas, isso é angustiante para uma criança. Não faça muitas perguntas ou deixe muitas decisões para ele tomar, isso desorienta. "Alguém de 2 anos não pode decidir o que vai vestir, por exemplo", diz Magdalena. "Porque vai escolher a roupa mais nova ou uma fantasia ou a de determinada cor, sem levar em conta o tempo, o frio que faz, aonde vai. Essa não é uma decisão para uma criança." A tomada de decisões deve ser ampliada de acordo com a autonomia e a maturidade da criança.
6. Um "não" para cada idade
"Cada idade tem seus "nãos". Uma criança de 3 anos pede "nãos" e consequências mais contundentes e imediatas que uma criança de 6 ou 7 anos, que já consegue negociar e já não faz tanto uso da birra. Já o adolescente precisa de "nãos" e consequências muito claras, pré-combinadas e justas" diz Rosana Augone.
7. Cuidado com as birras
Birras em público parecem ser as "preferidas" das crianças, porque a probabilidade de os pais cederem é maior. As crianças sabem disso e os pais ficam com muita vergonha. "Nestas situações, o melhor é se retirar para um local o mais privativo possível, abaixar, segurar seu filho pelos braços com firmeza, mas sem machucar, pedir para ele olhar nos seus olhos e dizer o que ele precisa fazer, por exemplo: parar de gritar, não se jogar no chão, etc.", orienta Rosana Augone. Ao dizer um não, o tom de voz, a altura de que você fala e a linguagem tem de ser clara. Depois de deixar claro isso, tente chamar a atenção da criança para outra coisa.
8. Fiscalize suas ordens
Existem situações em que a criança "pede" o não, testa se aquele combinado é para valer e quer saber se os seus pais estão prestando atenção nela, se estão vendo que ela está ou não cumprindo o combinado. Ela quer ouvir de novo aquele não de seus pais para reafirmar o que é certo e sentir-se segura. Essa é a hora de não titubear.
9. Tolere a raiva
É normal seu filho ficar com raiva de você ao receber um não. Respeite essa raiva. Tolere-a. Saiba que isso faz parte de sua educação e que aprender a ouvir não e lidar com eles fará dele uma pessoa mais feliz e flexível.
10. Entenda o seu lugar de pai/mãe
Não é porque o seu filho sabe argumentar bem, explicar razões, que o argumento dele vale mais que o seu. Ele precisa saber que não é ele quem decide determinadas coisas, por mais que as queira ou as entenda.
11. Não sinta culpa
Não se deixe levar pela culpa, achando que você tem de dar mais, fazer mais pelo seu filho. Mas esteja lá quando puder. Se você tem pouco tempo para estar com seu filho, faça desse tempo um tempo de qualidade, estando de mente e corpo presente. "Muita gente faz de conta que brinca com o filho, mas na verdade está olhando mensagens no celular ou pensando em coisas de trabalho", diz Magdalena. Dê atenção à criança e, quando não puder, diga claramente que naquele momento não dá.
12. As influências de fora
Às vezes, seu filho quer muito algo (ir a uma festa, assistir a um determinado programa ou ganhar um objeto caro, por exemplo). E todos os outros pais da escola, mesmo que alguns até achem inadequado, cederam. "Não é nada fácil fugir da influência da mídia e dos outros", diz a psicóloga Rosana Augone. "Mas explicar ao seu filho porque você está dizendo aquele não, porque você não concorda com a maioria e deixar claro como sua família pensa e no que credita é da maior importância para a construção moral dele".

 

amigos do educar

 


lição de casa

Crianças que fazem a lição de casa diariamente aprendem mais, têm notas melhores e se tornam mais seguras. Faça a sua parte!



depoimentos

Marina Silva, Martha Medeiros, Nelson Motta e outras personalidades brasileiras revelam o impacto de uma boa Educação no futuro



recomendamos

EDUCAÇÃO INFANTIL
Como contribuir com essa importante fase de formação da criança

ENSINO FUNDAMENTAL 1
Como acompanhar os primeiros passos da vida escolar de seu filho

ENSINO MÉDIO
Dicas para pais e alunos enfrentarem esta fase de novos desafios

mais lidos

ALFABETIZAÇÃO
11 dicas para ajudar na alfabetização de seu filho

TECNOLOGIA
52 sites que ensinam e divertem a criançada