Educar para Crescer
busca

Educar para crescer

ADOLESCÊNCIA

Como lidar com o autoritarismo dos adolescentes

Saiba como ensinar seu filho adolescente a defender suas opiniões sem se tornar autoritário


03/06/2013 17:38
Texto Adriana Carvalho
Educar
Foto: Claudia Marianno
Foto: Ajude seu filho a não ser autoritário - mas sem impedi-lo de ser um líder
Ajude seu filho a não ser autoritário - mas sem impedi-lo de ser um líder

A adolescência é uma fase de questionamentos e de autoafirmação. Os jovens começam a conquistar maior independência e querem romper com o "rótulo" de crianças. Têm suas próprias ideias, querem fazer e acontecer. Porém, muitas vezes, ao perseguir esses objetivos, agem de forma autoritária, como se fossem os "donos da verdade". Cabe aos pais nesses momentos estabelecer limites para os filhos e ensiná-los como conquistar seu espaço e defender suas ideias sem se tornarem autoritários ou desrespeitosos. "Para isso, o diálogo é sempre o melhor caminho", diz a psicóloga clínica Elisa Villela, mestre e doutora em desenvolvimento humano pela Universidade de São Paulo (USP). Veja as dicas dos especialistas:

Para ler, clique nos itens abaixo:
1. O que leva os adolescentes a ter um comportamento autoritário?
Atitudes autoritárias são esperadas na fase da adolescência, conforme explica a psicóloga clínica Elisa Villela, mestre e doutora em desenvolvimento humano pela Universidade de São Paulo (USP). "A fase da adolescência é a fase dos questionamentos ao estabelecido. O jovem procura se afirmar estabelecendo diferenças entre ele e os pais ou educadores, para romper com seu status infantil, de maior dependência", diz Elisa. Segundo ela, essa é também a fase das causas radicais e do idealismo. "Este idealismo pode levar a um comportamento autoritário, principalmente se os pais (ou o ambiente social) não forem flexíveis às contribuições que o adolescente quer dar, ou seja, novas ideias, opiniões diferentes e questionadoras".
2. De que maneira o comportamento autoritário se manifesta entre os adolescentes? Com que tipo de atitudes?
Adolescentes autoritários são aqueles que se comportam como "donos da verdade", muitas vezes ridicularizando as ideias dos pais e professores. "Em outras vezes, para se afirmar no grupo de amigos e assumir o lugar de liderança, o adolescente pode se comportar de forma autoritária, ou seja, não suportando ser questionado", diz a psicóloga clínica Elisa Villela, mestre e doutora em desenvolvimento humano pela Universidade de São Paulo (USP).
3. Adolescentes autoritários podem se tornar agressivos?
Sim. Os jovens que não são ensinados a saber esperar e que não aprendem a obedecer regras e limites são mais sensíveis às frustrações. Não suportam ser contrariados e nem questionados e, quando isso acontece, podem reagir negativamente, muitas vezes de forma agressiva. Quem tem baixa tolerância à frustração tende a reagir agressivamente, de forma a tentar controlar o ambiente ou a punir a pessoa que, a seu ver, está lhe fazendo sofrer, conforme explica a psicóloga clínica Elisa Villela, mestre e doutora em desenvolvimento humano pela Universidade de São Paulo (USP). É importante que os pais não aceitem as manifestações de agressividade dos filhos e principalmente não cedam a seus desejos quando eles agem dessa maneira. É preciso ensinar aos jovens que eles podem conquistar o que querem ou resolver seus conflitos por outros meios que não pela agressividade.
4. Como os pais devem lidar com o autoritarismo dos adolescentes?
A conversa é sempre a melhor opção, conforme diz a psicóloga clínica Elisa Villela, mestre e doutora em desenvolvimento humano pela Universidade de São Paulo (USP). Segundo ela, os pais e educadores têm que ter flexibilidade para recepcionar as contribuições e questionamentos dos filhos. "Devem reconhecer o valor dos questionamentos dos adolescentes e de suas buscas de pensamento próprio. Os pais podem discordar, mas devem escutar os filhos e respeitar suas opiniões, mesmo que não cedam às suas reivindicações", diz Elisa. De acordo com a psicóloga, com o adolescente, diferentemente do que com as crianças, os pais devem se mostrar mais acessíveis e os limites podem ser mais negociados. "Mas uma postura mais rígida deverá ser tomada se as atitudes do adolescente o colocam ou colocam aos outros em risco. A regra básica é respeitar e exigir respeito", diz Elisa.
5. Como os pais devem exercer a autoridade de uma forma saudável sem se tornarem excessivamente repressores?
A resposta para exercer a autoridade de forma saudável e sem cair na repressão é procurar sempre agir com calma, conforme afirma Aurélio Melo, professor de desenvolvimento humano do curso de psicologia da Universidade Mackenzie: "Pais devem procurar ser justos, calmos e, acima de tudo, amorosos. Muitos pais entram em guerra com seus filhos quando precisam lhes dizer "não" ou repreendê-los".

No exercício da autoridade, é preciso equilíbrio. Como afirmava o historiador italiano Cesare Cantú: "a autoridade que não é equilibrada, é tirania". Pais que não impõem limites podem criar filhos mandões e autoritários. "Por outro lado, pais excessivamente repressores podem gerar filhos obedientes, mas incapazes de desenvolver uma ética madura", diz a psicóloga clínica Elisa Villela, mestre e doutora em desenvolvimento humano pela Universidade de São Paulo (USP). Ou seja, os jovens obedecem por medo e não pelo respeito. "A autoridade saudável é aquela exercida com constância, impondo limites e ao mesmo tempo dando segurança aos jovens", orienta Elisa.
6. Jovens autoritários podem se tornar pessoas arrogantes?
A arrogância costumar andar de mãos dadas com o autoritarismo, conforme explica Aurélio Melo, professor de desenvolvimento humano do curso de psicologia da Universidade Mackenzie. "A arrogância é uma inabilidade em lidar com o outro, com o diferente, com as próprias fraquezas. É também uma forma de esconder os próprios defeitos", diz Aurélio.

 

amigos do educar

 


lição de casa

Crianças que fazem a lição de casa diariamente aprendem mais, têm notas melhores e se tornam mais seguras. Faça a sua parte!



depoimentos

Marina Silva, Martha Medeiros, Nelson Motta e outras personalidades brasileiras revelam o impacto de uma boa Educação no futuro



recomendamos

EDUCAÇÃO INFANTIL
Como contribuir com essa importante fase de formação da criança

ENSINO FUNDAMENTAL 1
Como acompanhar os primeiros passos da vida escolar de seu filho

ENSINO MÉDIO
Dicas para pais e alunos enfrentarem esta fase de novos desafios

mais lidos

ALFABETIZAÇÃO
11 dicas para ajudar na alfabetização de seu filho

TECNOLOGIA
52 sites que ensinam e divertem a criançada