Educar para Crescer
busca

Educar para crescer

INTERNACIONAL

Intercâmbio em 11 dicas

Tudo que você precisa saber antes de ir passar uma temporada em outro país


06/05/2009 14:50
Texto Georgia Nicolau
Capricho
Foto: Felipe Varanda
Foto: Não pense que no intercâmbio terá a mesma mordomia que tem em casa, nos outros países os hábitos das pessoas são totalmente diferentes
Não pense que no intercâmbio terá a mesma mordomia que tem em casa, nos outros países os hábitos das pessoas são totalmente diferentes
----- PAGINA 01 -----

Você sonha em dar um tempo da sua escola, do seu quarto, da sua rotina e conhecer pessoas novas, com um jeito de agir e pensar diferente? Que tal morar seis meses em outro país? A LOVETEEN, com a colaboração de Claudia Martins, gerente da agência de viagens STB, ajuda você a fazer as melhores escolhas. Prepare-se! 


Para ler, clique nos itens abaixo:
1. O primeiro passo é fuçar
Pesquise na internet sobre os países aos quais você gostaria de ir, sobre as agências de viagem que oferecem esse tipo de serviço, fuce nas comunidades de intercâmbio do Orkut. Uma boa dica é ficar ligada nas feiras de intercâmbio que rolam durante o ano, geralmente no primeiro semestre, como o Salão do Estudante, que acontece em seis capitais brasileiras.
2. Converse com a sua escola no Brasil
Pergunte se eles já tiveram outros alunos na mesma situação e quais documentos serão necessários você trazer para poder cursar o colegial novamente quando retornar.
3. Fale antes com seus pais!
Na hora de escolher o destino e o perfil da família adotiva com quem você deseja ficar, seja bem clara sobre o que você e sua família esperam. Tudo tem de ser bastante conversado com os seus pais.
4. Vida nova, tudo novo!
Sua rotina vai mudar muito e você vai ter de se adaptar às diferenças, algumas delas podem agradar e outras vão te fazer ter uma saudade imensa da sua casa, da sua mãe, dos seus amigos. Mas se esforce para viver intensamente e aprender com as diferenças.
5. A temperatura conta?
Se você não gosta de muito frio, tente escolher destinos como Austrália e Nova Zelândia, que, por estarem no mesmo hemisfério que o Brasil, têm estações bastante parecidas com as nossas.
6. Troque receitinhas!
Talvez você tenha dificuldade em se adaptar com a comida da sua nova casa. Para resolver o problema, saiba que você também pode contribuir com o cardápio, trazendo receitas da sua casa.
7. Nada de mordomia!
Por mais rica que seja a sua família adotiva, não é comum ter empregados domésticos nos países que recebem estudantes. Arrumar a cama, organizar o quarto, colocar as roupas para lavar, ajudar na louça... Tudo isso são coisas que você vai ter que se acostumar a fazer. Se ainda não faz, comece a treinar! Será melhor aprender dentro da sua casa!
8. Não há idade máxima!
Mas é melhor você começar a se planejar com bastante antecedência. Assim, as chances de algo sair errado diminuem e você ajuda a sua família a guardar dinheiro. Abra uma poupança para a viagem.
9. Não juntou o suficiente para ficar seis meses?
Tente as opções de intercâmbio por apenas um mês. Ou opções mais baratas de viagem, como as oferecidas pelo Rotary Club, em que sua família só precisa pagar a passagem.
10. Troque de família
Chegando lá, se você não conseguir se adaptar à família ou tiver qualquer problema de relacionamento, não tenha vergonha de pedir ajuda. Converse com a agência que te levou e não tenha medo de mudar de família até você se ajeitar.
11. Malas arrumadas?
Aproveite essa experiência única na sua vida! Volte cheia de fotos, memórias, amigos, um novo idioma e outro jeito de encarar as coisas!!
12. Dica de quem foi
"Minha decisão de fazer intercâmbio veio da vontade de querer saber como é viver em outro país. Eu acho que fazer intercâmbio é uma oportunidade única, que eu nunca vou esquecer. A primeira coisa foi pesquisar sobre empresas que fazem intercâmbio e procurar saber mais sobre os países, como Estados Unidos, Canadá, Nova Zelândia e Austrália. Depois que decidi a empresa (SIS) e o país (Estados Unidos), tive que fazer um teste de inglês e preencher um formulário que será mandado para uma companhia americana, que se encarrega de mostrar às famílias interessadas em adotar um intercambista. Minha preocupação maior é com a adaptação à nova escola. Todas as aulas são dadas em inglês e vai ser difícil acompanhar nos primeiros meses. Outra preocupação é saber em que lugar dos EUA eu vou cair. Os intercambistas que escolhem este país não podem escolher nem a região em que querem cair. Eles têm de esperar alguns meses até uma host family (família hospedeira) os escolha."

Gabriela Navajas, 16 anos, vai fazer o segundo ano do ensino médio nos EUA

 

amigos do educar

 


lição de casa

Crianças que fazem a lição de casa diariamente aprendem mais, têm notas melhores e se tornam mais seguras. Faça a sua parte!



depoimentos

Marina Silva, Martha Medeiros, Nelson Motta e outras personalidades brasileiras revelam o impacto de uma boa Educação no futuro



recomendamos

EDUCAÇÃO INFANTIL
Como contribuir com essa importante fase de formação da criança

ENSINO FUNDAMENTAL 1
Como acompanhar os primeiros passos da vida escolar de seu filho

ENSINO MÉDIO
Dicas para pais e alunos enfrentarem esta fase de novos desafios

mais lidos

ALFABETIZAÇÃO
11 dicas para ajudar na alfabetização de seu filho

TECNOLOGIA
52 sites que ensinam e divertem a criançada