Educar para Crescer
busca

Educar para crescer

ELOGIO

Como elogiar seu filho?

Ter uma boa autoestima é algo que todo pai deseja para seus filhos. Mas será que lhes dizer o tempo todo o quanto são bons ajuda realmente nisso?


19/09/2013 15:32
Texto Carolina Tarrío
Educar
Foto: Bruno Lanza
Foto: elogio
"Quando você fixa um padrão, dizendo que a criança é inteligente ou boa naquilo, ela se preocupa em manter esse lugar e prefere não assumir novos desafios. Não se arriscar em algo que ela não sabe se será boa", conclui a psicóloga Carol Dweck

A psicóloga americana Carol Dweck estuda como as pessoas são afetadas pelo que é dito a elas sobre suas capacidades. Quando estava na Universidade de Columbia (agora ela dá aulas em Standford), Carol realizou um estudo com 400 alunos do sexto ano. Funcionava assim: um membro de sua equipe escolhia um aluno qualquer e lhe pedia para realizar alguns testes de conhecimento apropriados para sua idade.

Quando a criança terminava, o pesquisador falava para ela sua pontuação e uma única frase. A um grupo de crianças, foi dito: “Você é muito bom nisso!”. Ao outro: “Você deve ter trabalhado muito nisso!” Depois, os alunos eram convidados a solucionar uma segunda bateria de testes e problemas. Eles podiam escolher entre problemas do mesmo nível dos anteriores ou tentar solucionar problemas mais difíceis.

Habillidades não-cognitivas Especial Habilidades não-cognitivas
Entenda o que são habilidades não-cognitivas e como estimular competências como sociabilidade, trabalho em equipe e a dedicação do seu filho.

 

Entre as crianças elogiadas por seu esforço (“Você deve ter trabalhado muito nisso!”), 90 % escolheu fazer testes mais difíceis. Já a maioria das crianças elogiadas por sua capacidade ou inteligência (“Você é muito bom nisso!”) preferiu ficar no mesmo nível. “Quando você fixa um padrão, dizendo que a criança é inteligente ou boa naquilo, ela se preocupa em manter esse lugar e prefere não assumir novos desafios. Não se arriscar em algo que ela não sabe se será boa”, concluiu Carol. Já aqueles elogiados por seu esforço, acreditam que podem avançar e se aventuram com mais confiança.

“O elogio é de extrema importância para os filhos, em qualquer idade”, diz a psicóloga Rosana Augone. “Faz com que as crianças desenvolvam a autoestima e se sintam reconhecidas pelas pessoas que mais amam: seus pais.” Não há dúvidas quanto a isso. A questão é que atitudes elogiar – e de que maneira. A jornalista americana Pamela Druckerman foi morar em Paris e sua comparação entre a educação dada às crianças na França e nos Estados Unidos resultou no livro “Crianças Francesas Não Fazem Manha”, da editora Fontanar. Segundo ela, os franceses confiam na capacidade dos filhos, tentam ouvi-los atentamente e incentivá-los a descobrir as coisas por si mesmos, mas não passam o tempo todo pendentes de suas atividades ou elogiando-os sem parar. E isso faz com que as crianças francesas sejam mais tranquilas. “Uma criança que recebe elogios o tempo todo termina por se sentir o centro do mundo e acha que pode interromper a qualquer momento ou fica constantemente querendo atenção”, diz.

Segundo a terapeuta de casal e família Magdalena Ramos, autora do livro “E Agora, o que Fazer? A Difícil Arte de Criar os Filhos”, da editora Ágora, por vezes ocorre uma banalização do elogio. “Esse estímulo deveria ser utilizado para reforçar o amadurecimento e o empenho da criança. Um elogio soa verdadeiro quando é a reação a uma conquista. Mas se a criança faz uma coisa qualquer e a mãe fica dizendo para tudo “Que lindo!”, ele se torna vazio”, explica. Veja, a seguir, algumas dicas de Magdalena para acertar na dose

Para ler, clique nos itens abaixo:
1. Use o elogio para incentivar o esforço
E, também, é claro, para valorizar os avanços de seu filho. Uma criança que consegue largar a chupeta, ir ao banheiro sozinha pela primeira vez, ou realizar uma tarefa que antes não era capaz de fazer, merece reconhecimento. Desse modo, você o incentiva a se desenvolver, a ganhar autonomia.
2. Reforce atitudes com o elogio
O elogio também mostra os valores que sua família considera positivos. Avalie quais são eles: uma gentileza, o fato de a criança ser educada com alguém, a generosidade, o fato de ela ter uma boa postura como estudante?
3. Elogie o esforço, independente do resultado
O esforço pode ser elogiado mesmo que o objetivo não seja conquistado integralmente. Se seu filho não tirou 10, mas realmente estudou e se empenhou em uma prova, vale o reconhecimento. Se ele competiu e não ganhou, mas deu o seu melhor, idem. Desse modo, a atitude é reforçada.
4. Elogie o bom comportamento
É elogiável que a criança consiga lidar com suas frustrações e decepções de modo maduro. Se uma criança de três anos ficou chateada por não conseguir uma coisa, mas não fez um escândalo, não começou uma birra e aceitou um não, os pais podem lhe fazer perceber que consideraram boa sua atitude.
5. Aprove ou reprove as atitudes, não a pessoa
Por mais que você ache seu filho o máximo, tente não ficar lhe dizendo o tempo todo "que lindo!", "como você é inteligente!", "você é o máximo". Esse tipo de rótulo acaba sendo tão prejudicial quanto o contrário ("você é burro", "você é mau"). Tente marcar sua aprovação ou desaprovação com relação às atitudes, não à pessoa. Se seu filho se achar o máximo, pode se tornar pouco seguro para arriscar e tentar coisas novas. Ele vai procurar agir apenas para "garantir o seu lugar".
6. Valorize as conquistas de outras pessoas
É importante valorizar as conquistas e esforços da família. Se um irmão conquistou algo, vale fazer o elogio publicamente. Se foi o pai ou a mãe, igualmente. É importante reconhecer o esforço e celebrar as conquistas no âmbito familiar.
7. Não recompense demais com presentes
Você pode optar por dar ao seu filho uma recompensa (um presente, uma ida ao cinema ou um doce) se quiser reforçar uma atitude. Mas não faça disso algo corriqueiro. Tanto o elogio quanto a recompensa devem ser resultado de uma verdadeira conquista.

 

amigos do educar

 


lição de casa

Crianças que fazem a lição de casa diariamente aprendem mais, têm notas melhores e se tornam mais seguras. Faça a sua parte!



depoimentos

Marina Silva, Martha Medeiros, Nelson Motta e outras personalidades brasileiras revelam o impacto de uma boa Educação no futuro



recomendamos

EDUCAÇÃO INFANTIL
Como contribuir com essa importante fase de formação da criança

ENSINO FUNDAMENTAL 1
Como acompanhar os primeiros passos da vida escolar de seu filho

ENSINO MÉDIO
Dicas para pais e alunos enfrentarem esta fase de novos desafios

mais lidos

ALFABETIZAÇÃO
11 dicas para ajudar na alfabetização de seu filho

TECNOLOGIA
52 sites que ensinam e divertem a criançada