Educar para Crescer
busca

Educar para crescer

ENEM

O boletim dos primeiros do Rio de Janeiro

Uma radiografia das dez escolas da cidade que obtiveram os melhores resultados no Exame Nacional do Ensino Médio


16/04/2008 16:53
Texto Alessandra Medina
Veja Rio
Foto: Selmy Yassuda
Foto: Alunos do ensino médio do colégio Santo Agostinho, na Barra da Tijuca
Alunos do ensino médio do colégio Santo Agostinho, na Barra da Tijuca

Os santos do Rio de Janeiro continuam fortes. Na avaliação relativa a 2007, dois deles chegaram à frente de 18 796 escolas de todo o Brasil, com as maiores médias do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O Colégio São Bento comemora 150 anos de funcionamento no topo absoluto da pirâmide, seguido pelo Santo Agostinho, do Leblon, outro exemplo em matéria de tradição e apreço à disciplina. O Enem trouxe boas novas para os cariocas. Pelo critério das médias na prova objetiva, na redação e na correção de participação — ajuste estatístico que simula o resultado como se todos os alunos de uma escola tivessem feito o teste —, oito entre as vinte melhores escolas do país estão na cidade.

Com base nos resultados do Enem 2007, Veja Rio apresenta um perfil das dez melhores instituições de ensino da cidade, segundo a listagem divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação. O fato de outras escolas estarem fora das principais colocações não as desmerece necessariamente. Não é apenas através da classificação em provas e vestibulares que se deve avaliar a qualidade da educação. De qualquer forma, o exame serve como um ótimo referencial para os pais acompanharem a formação dos filhos. "Após a divulgação do Enem, pedimos uma reunião com a direção para saber se alguma mudança vai ser feita no ensino", diz Letícia Lins e Silva, mãe de Iná, de 14 anos, aluna da 9ª série da Escola Parque, na Gávea, que ficou em vigésimo lugar entre os colégios cariocas, depois de ter sido a quinta em 2005. "Adoro a filosofia da escola, mas quero ter certeza de que minha filha está sendo bem preparada."

Realizado pela primeira vez em 1998 para apenas 115 000 participantes, o Enem chegou à sua décima edição com 2,8 milhões de candidatos voluntários. Em todo o país, o exame serve de porta de entrada para 600 estabelecimentos de ensino superior. Aqui, 62 faculdades utilizam esse resultado, mas apenas uma é pública, a Uni-Rio. Trata-se de uma avaliação diferente dos vestibulares tradicionais. Ninguém precisa ter na ponta da língua o nome dos donatários das capitanias hereditárias ou conhecer a tabela periódica de trás para a frente. O importante é saber interpretar textos, gráficos e imagens. "Não adianta querer fazer cursinho ou aulas especiais preparatórias para o Enem, pois a prova utiliza uma bagagem que o estudante deveria ter acumulado ao longo da vida", destaca Regina Canedo, diretora da Moderna Organização Pedagógica Integrada (Mopi), quarta colocada do município na avaliação. "Ficamos muito felizes com o excelente resultado, mas nenhum de nossos alunos utilizou o Enem para entrar na universidade", diz a supervisora pedagógica do São Bento, Maria Elisa Penna Firma. No Santo Agostinho, dois alunos aproveitaram as boas notas para garantir uma vaga na medicina da Uni-Rio.

Há quem tenha estranhado na lista do Inep a ausência de escolas que costumam alardear em anúncios seu sucesso nos vestibulares. É que ficaram de fora as que não preencheram os dados pedidos no último censo escolar, como o Centro Educacional da Lagoa, o Colégio Pentágono e o pH. "Para obter uma informação de melhor qualidade, mudamos de metodologia", afirma Maria Inês Pestana, responsável pelo censo. "Em vez de pedir apenas o número de alunos, passamos a solicitar informações cadastrais de cada um deles." Só no Rio, 198 colégios deixaram de entrar na listagem, praticamente um quarto das escolas particulares. "Como a correção de nota é feita com base no número de alunos contabilizados no censo, não foi possível incluí-las", explica Maria Inês. "Nunca foi dito que haveria essa ligação entre o censo e o Enem", reclama o diretor administrativo do colégio pH, Márvio Lima. "Não nos sentimos autorizados a revelar dados cadastrais dos alunos. Essa medida de agora me soa a retaliação." Apesar das ausências, a listagem divulgada pelo Enem revela um retrato encorajador sobre o ensino privado no Rio.

Para ler, clique nos itens abaixo:
1º: São Bento
Nota: 82,96

Alunos no ensino médio: 279

Mensalidade: 1 442,67 a 1 731,08 reais

Salário médio dos professores: 3 800 reais

Seleção dos alunos: Não aceita alunos novos no 2º e no 3º ano do ensino médio. Para o 1º, faz teste de conhecimentos. Os candidatos são avaliados durante um dia de convivência na escola. Inscrições de agosto a outubro

O que faz a diferença: É uma das poucas escolas da cidade que só aceitam meninos. Adota um currículo tradicional, que inclui, na 9ª série, uma cadeira voltada à cultura grega. Há também aulas de história da arte e apreciação musical, sempre com cinco tempos semanais de matemática. "Aqui se estuda o que saiu de moda", diz a supervisora pedagógica Maria Elisa Penna Firme

Corpo docente: São 41 professores. O nível de qualificação é alto: 55 têm pós-graduação ou mestrado e 5%, doutorado. Setenta por cento deles trabalham na escola há mais de dez anos

Infraestrutura: No alto de uma colina com vista para a Baía de Guanabara, o colégio funciona em um prédio moderno, ao lado do Mosteiro de São Bento, um dos principais tesouros barrocos do país e, por isso mesmo, utilizado no curso de história da arte. Apesar do terreno acidentado, tem quadras esportivas e piscina semi-olímpica

Disciplina: São proibidos penteados extravagantes, cabelo colorido e piercings. O uso de uniforme é obrigatório para todas as séries. Celular, só no recreio

Onde fica: Rua Dom Gerardo, 68, Centro, 2206-8100. www.csbrj.org.br
2º: Santo Agostinho - Leblon
Nota: 82,04

Alunos no ensino médio: 638

Mensalidade: 923 a 1 270 reais

Salário médio dos professores: 4 500 reais (25 horas semanais)

Seleção dos alunos: Provas de matemática, português e redação. Não aceita matrícula no 3º ano do ensino médio. Inscrições a partir de agosto

O que faz a diferença: Defende uma educação tradicional, sem experimentalismos. Disciplina, pontualidade na data de entrega dos trabalhos e responsabilidade são exigências desde o ensino fundamental. No ensino médio, tem no máximo quarenta alunos por sala. Há aulas em período integral, três dias por semana, para os estudantes do 3º ano, com provas semanais

Corpo docente: A equipe de 49 professores tem rotatividade mínima. Alguns são exclusivos das duas escolas da ordem, no Leblon e na Barra. No ensino médio, 49 dos docentes têm mestrado ou doutorado. Todos recebem bonificação por tempo de serviço

Infraestrutura: Ocupa praticamente um quarteirão no Leblon. Há laboratórios de química, física, biologia e informática, rede wi-fi e três salas multimídia. Para a prática esportiva, existem duas quadras e um ginásio. Tem um moderno auditório de 380 lugares

Disciplina: Tolera apenas três atrasos por semestre e notifica aos pais cada vez que um aluno chega fora do horário. O uso do uniforme é obrigatório em todas as séries. Proíbe fumar. O namoro é permitido desde que não haja manifestações ostensivas de afeto. Sem restrição a piercings, tatuagens e cabelos coloridos

Onde fica: Rua Cupertino Durão, 75, Leblon, 2239-0532. www.csa.com.br
3º: Santo Inácio
Nota: 79,68

Alunos no ensino médio: 765

Mensalidade: 1 042 a 1 201 reais

Salário médio dos professores: 4 200 reais (25 horas semanais)

Seleção dos alunos: Os candidatos fazem provas de matemática e português. No ano passado, havia quatro candidatos para cada uma das vinte vagas no 1º ano do ensino médio

O que faz a diferença: Estimula o engajamento dos alunos em projetos sociais e dispõe de vários laboratórios, seis deles de informática. O núcleo de mídia e comunicação tem aparelhos de áudio e vídeo para uso didático, estúdio de gravação, ilhas de edição e equipamentos digitais de produção de vídeo e fotografia. No laboratório de robótica, os estudantes montam máquinas e resolvem problemas matemáticos

Corpo docente: Por meio de convênios com faculdades e outras instituições de ensino, financia integral ou parcialmente o estudo de seus 230 professores, além de promover palestras e workshops para eles

Infraestrutura: O prédio principal, construído nos anos 30 e inspirado na arquitetura dos claustros, passou por várias reformas para acompanhar a expansão do colégio. Até o fim do ano estará concluído o complexo esportivo, com cinco quadras e piscina semi-olímpica aquecida

Disciplina: Não é permitido usar short, calça desfiada, boné, chinelo nem chuteira. Não há restrição a namoro, desde que de forma comedida

Onde fica: Rua São Clemente, 226, Botafogo, 3184-6200. www.santoinacio-rio.com.br
4º: Mopi
Nota:79,66

Alunos no ensino médio: 73

Mensalidade: 1 400 reais

Salário médio dos professores: 3 900 reais (carga de 25 horas semanais)

Seleção dos alunos: É feita por meio de entrevista e prova de avaliação. Os candidatos, divididos em pequenos grupos, são recebidos por coordenadores pedagógicos na visita às instalações do colégio

O que faz a diferença: As turmas reúnem no máximo 25 alunos em salas equipadas com lousa eletrônica. Os estudantes podem receber orientação à tarde, ministrada por monitores, sem custo adicional. Na parte alimentar, distribui maçãs aos alunos

Corpo docente: O ensino médio começou a ser oferecido pela escola há três anos, quando seus quinze professores foram capacitados para tirar partido dos recursos tecnológicos disponíveis e dinamizar as aulas

Infraestrutura: O imóvel, de quatro pavimentos, é bem verticalizado. Com poucas áreas livres, a escola mantém convênios com clubes e academia de ginástica para as aulas de educação física

Disciplina: Uniforme é obrigatório. Não há restrições a cortes ou cores de cabelo, tatuagem ou piercing. Namoro é permitido, mas sem beijos e abraços

Onde fica: Rua Marquês de Valença, 141, Tijuca, 2568-8833 (central de atendimento). www.mopi.com.br
5º: Aplicação
Nota: 79,63

Alunos no ensino médio: 270

Mensalidade: Gratuita

Salário médio dos professores: 3 000 reais

Seleção dos alunos: Os candidatos fazem prova de português e matemática. Quem acertar mais da metade das questões participa de um sorteio público de vagas

O que faz a diferença: Além de cumprir o currículo básico, oferece aulas de artes cênicas, música e desenho geométrico. A escola incentiva a reflexão e o questionamento

Corpo docente: Por ser um colégio de aplicação, forma os alunos de licenciatura da UFRJ. Resultado: os professores estão sempre se atualizando

Infraestrutura: Localizado numa área nobre da cidade, a Lagoa Rodrigo de Freitas, o colégio tem amplo pátio e quadra polivalente

Disciplina: Exige o uso da camisa com emblema da escola. Não é permitido fumar e o celular só pode ser ligado fora da sala. Piercing, tatuagem e cabelo colorido estão liberados. Namorar, sim, mas discretamente.

Onde fica: Rua J.J. Seabra, s/nº, Lagoa, 2511-5382. www.cap.ufrj.br
6º: Santo Agostinho - Barra
Nota: 79,20

Alunos no ensino médio: 658

Mensalidade: 923 a 1 270 reais

Salário médio dos professores: 4 500 reais (25 horas semanais)

Seleção dos alunos: Provas de matemática, português e redação. Não aceita matrículas no 3º ano do ensino médio. Inscrições a partir de agosto

O que faz a diferença: Defende uma educação tradicional, sem experimentalismos. Disciplina, pontualidade na data de entrega dos trabalhos e responsabilidade são exigências desde o ensino fundamental. No ensino médio, tem no máximo quarenta alunos por sala. Há aulas em período integral, três dias por semana, para os estudantes do 3º ano, com provas semanais

Corpo docente: A maioria dos cinqüenta professores trabalha na escola há mais de dez anos. A rotatividade é mínima. Todos recebem bonificação por tempo de serviço.

Infraestrutura: Localizado no interior do condomínio Novo Leblon, na Barra, o Santo Agostinho foi um dos primeiros colégios de grande porte a funcionar no bairro. Suas instalações são espaçosas, com cinco quadras esportivas, salas de estudo e laboratórios de química, física, biologia e informática

Disciplina: Tolera apenas três atrasos por semestre e notifica os pais cada vez que um aluno chega fora do horário. O uniforme é obrigatório em todas as séries. Proíbe fumar. O namoro é permitido desde que não haja manifestações ostensivas de afeto. Sem restrição a piercing, tatuagem e cabelo colorido.

Onde fica: Rua Rino Levi, 485, Condomínio Novo Leblon, Barra, 2438-4900. www.csanl.com.br
7º: Ort
Nota: 78,95

Alunos no ensino médio: 130

Mensalidade: 900 reais (70 dos alunos têm bolsas integrais ou parciais)

Salário médio dos professores: 3 200 reais

Seleção dos alunos: Os candidatos e seus pais participam de uma palestra com o diretor e visitam as dependências do Instituto de Tecnologia Ort. Depois, os jovens fazem provas de matemática, português e aptidão para escolher um dos seus quatro cursos técnicos (biotecnologia, comunicação social, eletrônica e informática)

O que faz a diferença: Tem mais laboratórios (dezesseis) do que salas de aula (doze). Todos são bem equipados, como os de biologia aplicada, eletrônica digital, telecomunicações e informática. No fim do ensino médio, os estudantes saem também com o diploma de um curso técnico

Corpo docente: A maioria dos 45 professores é jovem. Quinze deles se formaram na própria escola. Há uma grande proximidade com os estudantes, que têm total liberdade para tirar suas dúvidas com os coordenadores

Infraestrutura: Situada em um prédio de quatro andares, a escola conta com um pátio e duas quadras esportivas. Em suas dependências funcionam quatro empresas: uma produtora de vídeo, um portal de saúde, uma consultoria de treinamento e uma promotora de eventos. Em vez de pagarem aluguel, elas dão bolsas de estudos aos alunos

Disciplina: Não emenda folga no meio do feriado. A tolerância máxima de atraso é de cinco minutos, quatro vezes por trimestre. Na quinta, o estudante volta para casa. Fumar é proibido. Namorar pode, com discrição. Não tem uniforme obrigatório, mas proíbe boné, chinelo e camiseta de clubes

Onde fica: Rua Dona Mariana, 213, Botafogo, 2539-1842. www.ort.org.br
8º: São Vicente
Nota: 78,28

Alunos no ensino médio: 370

Mensalidade: 1 022 a 1 155 reais

Salário médio dos professores: 3 600 (1º e 2º ano) e 4 800 reais (3º ano, por 25 horas/aulas semanais)

Seleção dos alunos: Ocorre em outubro, com aplicação de testes de matemática e português. Em seguida, há dinâmica de grupo e avaliação do histórico escolar

O que faz a diferença: Algumas aulas saem da rotina, como história do teatro e análise crítica dos meios de comunicação. O grêmio escolar é atuante. Nas últimas eleições, organizou debates com os candidatos a governador

Corpo docente: Os professores participam, nas noites de segunda, de um programa de formação em que são definidas questões pedagógicas. O colégio também financia parte de viagens para congressos e cursos de especialização. Cerca de 30 têm pós-graduação. Há bonificação por tempo de serviço

Infraestrutura: Instalada num prédio de três andares, a escola conta com 28 salas de aula, sete laboratórios (dois para informática, dois para ensino de línguas, dois de ciências e um de química), duas salas de artes, duas de música, duas bibliotecas, sala multimídia e três ilhas de edição em vídeo, além de ginásio poliesportivo e três quadras descobertas. Uma das duas cantinas oferece apenas produtos light

Disciplina: O celular pode ser ligado no recreio. O namoro é permitido, mas discreto. Quando um aluno se atrasa com freqüência, os pais são convocados para uma reunião. Há uniforme só no ensino fundamental

Onde fica: Rua Cosme Velho, 241, Cosme Velho, 3235-2900, www.csvp.g12.br
9º: Corcovado
Nota: 77,60

Alunos no ensino médio: 274

Mensalidade: 1 270 reais. Cobra jóia de 6 000 reais na primeira matrícula, que decresce à medida que entram outros irmãos (3 000 para o segundo e 1 500 para o terceiro). Há ainda taxa mensal de 235 reais por família para a associação escolar

Salário médio dos professores: 5 000 reais por 25 horas/aula semanais

Seleção dos alunos: Testes de português, alemão e matemática, além de entrevistas

O que faz a diferença: Um de cada dez alunos dessa escola bilíngüe é estrangeiro. Na sala, as cadeiras são sempre arrumadas em círculos. Tem dois currículos: o brasileiro, com três matérias ensinadas na língua germânica, e o alemão, que prepara tanto para as faculdades daqui quanto para as européias. Um quinto dos alunos desse segundo grupo sai da escola para cursar universidade na Alemanha. Há aulas extracurriculares de cinema, filosofia, teatro, vôlei e até música eletrônica

Corpo docente: Integra idéias e metodologias dos dois países. A direção organiza seminários de educação e recomenda aos professores que passem pelo menos um turno inteiro na escola, com grades que completem 30 horas semanais

Infraestrutura: No meio de um parque arborizado de 50 000 metros quadrados, o belo casarão possui laboratórios de física, química, três salas de artes, duas de música, um centro cultural com auditório, duas bibliotecas, dois laboratórios de informática, quadra esportiva e ginásio coberto

Disciplina: Não adota uniforme, salvo na educação física. É permitido namorar, mas sem beijos. Celulares devem ser desligados durante o horário de aula

Onde fica: Rua São Clemente, 388, Botafogo, 2537-8811. www.eac-rio.de
10º: St. Patrick's
Nota: 77,42

Alunos no ensino médio: 50

Mensalidade: 993,90 reais

Salário médio dos professores: Não informa

Seleção dos alunos: O processo se inicia por meio de uma entrevista com o candidato e seus pais. Depois, é aplicado um teste para verificar se há defasagem do postulante à vaga em relação aos demais matriculados. Já estão abertas as inscrições para novos alunos

O que faz a diferença: As turmas não passam de vinte alunos — algumas séries, como o 3º ano do ensino médio, chegam a ter apenas dez. Todos ganham atendimento exclusivo dos professores

Corpo docente: A metodologia privilegia a interdisciplinaridade. É comum dois professores trabalharem a aula juntos. Debates também são estimulados, com o uso de jornais e revistas e a participação de professores e da bibliotecária

Infraestrutura: A escola foi construída em um terreno de três casas, numa movimentada esquina do Leblon. Dispõe de laboratório de ciências e de informática, sala de artes e sala para projeção de vídeos. Uma pequena quadra esportiva é a opção de lazer

Disciplina: O uso do uniforme é obrigatório apenas até o ensino fundamental. É permitido namorar, com moderação, e usar celular no recreio. A tolerância para atraso é de quinze minutos. Depois disso, é preciso aguardar o início da aula seguinte

Onde fica: Avenida Ataulfo de Paiva, 1120, Leblon, 2274-0033. www.st-patricks.com.br

 

amigos do educar

 


lição de casa

Crianças que fazem a lição de casa diariamente aprendem mais, têm notas melhores e se tornam mais seguras. Faça a sua parte!



depoimentos

Marina Silva, Martha Medeiros, Nelson Motta e outras personalidades brasileiras revelam o impacto de uma boa Educação no futuro



recomendamos

EDUCAÇÃO INFANTIL
Como contribuir com essa importante fase de formação da criança

ENSINO FUNDAMENTAL 1
Como acompanhar os primeiros passos da vida escolar de seu filho

ENSINO MÉDIO
Dicas para pais e alunos enfrentarem esta fase de novos desafios

mais lidos

ALFABETIZAÇÃO
11 dicas para ajudar na alfabetização de seu filho

TECNOLOGIA
52 sites que ensinam e divertem a criançada